Após encontro com Trump, presidente Bolsonaro ora com líderes cristãos dos EUA

Após encontro com Trump, presidente Bolsonaro ora com líderes cristãos dos EUA

O encontro reuniu líderes, escritores e homens cristãos de negócios (foto: Joel Rosenberg) 

Um grupo de cerca de uma dúzia de líderes evangélicos norte-americanos liderados por Pat Robertson se encontrou com presidente da República, Jair Bolsonaro, na terça-feira (19), após seu encontro com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. 

Além do pastor Robertson, o grupo incluía o escritor Joel Rosenberg; o evangelista Reinhard Bonnke; o fundador da Charisma Media, Stephen Strang; o bispo de Maryland, Harry Jackson e Jonathan Falwell, pastor da Thomas Road Baptist Church em Lynchburg, Virginia, que estava acompanhado do filho Jerry Falwell, fundador da Liberty University

No encontro, foi discutido não apenas o futuro do país sul-americano e sua crença compartilhada em valores cristãos tradicionais, mas também os pastores e homens de negócios cristãos também oraram por Bolsonaro, que foi chamado de “Trump dos Trópicos”, por causa de sua inclinação política à direita. 

"Pedimos, Senhor, que a unção do Espírito Santo venha sobre ele, para que ele tenha sabedoria. Que ouça uma voz em seu ouvido quando se virar para a direita ou para a esquerda, dizendo: 'Este é o caminho. Ande nela.' Senhor, sustenha-o. Proteja-o do mal. E use-o poderosamente nos próximos anos”, orou o pastor Robertson. 

Bolsonaro é um membro da Igreja Católica Romana, mas sua esposa e filho são evangélicos, o grupo demográfico religioso que mais cresce no país. Por causa de suas visões socialmente conservadoras, o então deputado federal foi batizado no rio Jordão em 2016 e conquistou o apoio de muitos evangélicos no Brasil. Eles votaram em grande número para ele, assim como os evangélicos dos EUA foram conquistados por promessas de Trump para implementar políticas sociais conservadoras e pró-vida. 

Segundo Stephen Strang, Bolsonaro disse aos líderes evangélicos que era um milagre que ele estivesse vivo. Durante a campanha, ele foi esfaqueado e confinado em uma cama de hospital até a eleição em outubro passado. 

"Alguns de seus principais objetivos incluem proteger a vida dos não-nascidos, fortalecer os laços com Israel e reverter o pedágio do socialismo no Brasil. Curiosamente, estes são alguns dos principais problemas enfrentados pelos EUA agora", afirmou Strang em um editorial.

Com informações de: The Christian Post

Postar um comentário

0 Comentários