Header Ads

ad

Não, o “problema” não foi Jesus na goiabeira...

Damares Alves teve que suportara insanidade dos "progressistas" Érika Kokay e Túlio Gadelha



Durante uma prestação de contas na Câmara dos Deputados ocorrida na última quarta-feira (10), a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, provou um pouco da fúria e da insensibilidade de alguns deputados de orientação “progressista”, que não admite o contraditório ainda que reivindique isso para si.
Em destaque, a deputada Érika Kokay (PT-DF) e o namorado da Fátima Bernardes deputado Túlio Gadelha (PDT-PE), que simplesmente zombaram da ministra, mencionando um dos episódios mais tristes e sofríveis pelo qual passou. Citaram o incidente da goiabeira, onde Damares diz ter visto Jesus quando criança. 

Durante a sessão, Erika lembrou desse episódio, ao dizer da necessidade de políticas públicas para combater o abuso sexual, enfatizou que “nem todas as meninas poderiam ser salvas por Jesus na goiabeira”. A fala rendeu vaias dos demais deputados na sessão, além de uma réplica da própria ministra.




Túlio, por sua vez, respondeu a uma seguidora no Instagram – que teria insinuado certo interesse de Damares por ele (na sessão, Damares o chamou de “lindo”), o deputado atacou dizendo “diga a ela que pode tirar o Jesus da goiabeira que não vai rolar milagre, não". Em um post no Twitter, emendou “Essa ministra é uma pessoa que merece um tratamento especial #ironiamodeon”.




Pode parecer – para alguns – que os comentários são bobos. Não são. Estamos falando de uma cicatriz que ainda causa dor a uma pessoa que, indefesa, sofreu nas mãos de um abusador. Isso ficou claro na fala da ministra ao se dirigir à deputada do PT. Se a visão que Damares teve de Jesus na goiabeira foi real ou se algum efeito pós-traumático, não podemos saber. Creio ser possível. Mas, ressalto, estamos falando de um alguém que acabara de ser abusada sexualmente, aos dez anos de idade. Para isso, não vale gracejo algum. 

Creio, queridos leitores, que essa sanha em torno da visão da ministra não existiria se: 01) a mesma seguisse qualquer outra ideologia que não a conservadora e cristã e 2) Se em vez de Jesus ela tivesse visto Buda, Krishna, Xangô, Iemanjá ou qualquer outro elemento de um panteão alheio ao Cristianismo. O problema reside no fato de Damares ser uma líder cristã, tendo dedicado toda a sua vida no trato a outras meninas que tiveram também a péssima experiência do abuso sexual com base na fé cristã. Isso irrita os socialistas, a ponto de abandonarem seu discurso a favor dos direitos individuais e contra a intolerância religiosa. 

Ainda que Damares não fosse cristã, o comentário insensível dos deputados citados continuaria deplorável. Ninguém merece passar por isso. Vale para os mesmos que usam a religião para propagar sua insanidade contra alguém simplesmente pelo fato dela não fazer parte do seu “balaio”. Vimos isso na ocasião da morte do jornalista Ricardo Boechat, que era ateu, e que muito “cristão” despejou uma saraivada de “era ateu, agora tá no inferno”, “quem mandou não aceitar Jesus” e outras coisas mais escabrosas. Se você coloca sua  ideologia acima do respeito às pessoas, lhe fazendo agir de forma cruel e insana, você não é mito e nem lacrador. VOCÊ É UM IDIOTA! Simples assim. 

____________________

* Por Fábio Cavalcante - Jornalista e editor-chefe do Portal Cristianismo Iconformado; fotógrafo, músico, estudante de Teologia e entusiasta de Filosofia. Atualmente é membro da Igreja Batista Imperial, em Boa Vista (RR).  

Saiba mais sobre o que penso: 
http://fabio.home.blog

Nenhum comentário