Header Ads

ad

Casal vai processar igreja que não tomou providências em suposto abuso sexual envolvendo pastor


Segundo o casal, que teve a filha supostamente abusada por um dos pastores da igreja, a denominação fez pouco caso do incidente apenas para "se preservar"

A Village Church, liderada no Texas por Matt Chandler, poderá em breve enfrentar um processo movido por  um casal de ex-membros, que alegam que a igreja fez pouco caso em relação a filha deles, que teria sido abusada por um dos pastores da denominação quando era menor de idade.  

Em sua primeira entrevista pública, Christi Braggs e seu marido, Matt, alegaram em um relatório ao The New York Times que o ministro das crianças, Matthew Church abusou sexualmente de sua filha quando ela tinha 11 anos em um acampamento da igreja em 2012.

O casal argumenta que a Village Church respondeu às suas preocupações de maneira espiritualmente abusiva e pareceu mais preocupada com a reputação da mega igreja em vez de sua filha.

 "Ninguém estava procurando o melhor interesse de nossa filha. Ela é importante. Jesus diz que ela importa. Nós dizemos que ela é importante. Nós vemos a postura tão claramente agora. A igreja não está fazendo isso bem”, disse Braggs ao jornal.  

A mãe da menina também disse ao The New York Times que estava se preparando para um fim de semana familiar em um lago com amigos, em fevereiro de 2018, quando sua filha, que agora é adulta, pediu para falar com ela a sós.

Ela então contou como seis anos antes, enquanto estava no acampamento da igreja, acordou no quarto das meninas, apenas de roupa íntima. Um homem, a quem ela não nomeou, estava sentado em sua cama, tocando-a. Ele saiu quando uma luz se acendeu no banheiro.

Braggs, que revelou que é uma sobrevivente de agressão sexual, não perdeu tempo registrar um boletim de ocorrências e entrar em contato com a Village Church. A filha do casal mais tarde identificou o pastor Matthew como o homem de suas memórias.

Meses depois de relatar o que aconteceu com sua filha, a família Bragg, que desde então deixou a Village Church, diz que não foi tratada com o cuidado que se espera que vítimas de abuso recebam de uma igreja.

"O que encontramos foi uma igreja que fez uma escolha consciente de se proteger em vez de refletir o Jesus que afirma seguir", escreveu ela ao pastor do campus de sua igreja em Southlake. "É uma piada terrivelmente triste", ela continuou. “Nós seguimos as regras. Nós seguimos os estatutos. Não temos ideia de para onde ir ao partir daqui”.

Os advogados Boz Tchividjian e Mitch Little, que agora representam a filha de Braggs, disseram ao New York Times que seus clientes planejam avançar com o litígio formal a fim de manter a Village “responsável pelo trauma sexual infligido a ela quando criança por um empregado adulto”.

Outros casos – Informações de documentos judiciais no início deste ano mostram que Tonne, de 35 anos, já teve outra acusação de contato infantil indecente, mas liberado ao pagar fiança de US$ 25.000. Ele foi ordenado a não ter contato com o reclamante no caso contra ele ou sua família.

Ele também foi inquirido ao não ter contato com crianças de 17 anos ou menos, exceto seus próprios filhos. Antes de ser removido de seu posto na Village Church, em junho passado, Tonne era conhecido como um líder amado e um homem de família com uma esposa e três filhos.

Fonte: The Christian Post

Nenhum comentário