Header Ads

ad

Katy Perry plagiou rap cristão em “Dark House”, declara tribunal

No entendimento do júri, a música "Dark Horse" é uma cópia descarada de "Joyful Noise" 

Um júri da Califórnia concluiu que o hit de 2013 "Dark Horse", da estrela pop Katy Perry, é uma clara violação de direitos autorais, por copiar o rap cristão, "Joyful Noise", lançado em 2008. A justiça deu ganho de causa a Marcus Gray – conhecido como Flame – e os demais co-criadores da que seria a música “original”. 

Gray e equipe entraram com uma ação judicial contra a cantora assim que o hit “Dark House” estourou nas paradas de sucesso. No julgamento de uma semana, tanto Perry quanto o produtor do hit, Dr. Luke, insistiram que nunca ouviram falar de “Joyful Noise”. 

Flame argumentou que o sucesso de sua música no nicho de mercado continuou a ter grande sucesso e que os réus podem ter ficado sabendo disso no Grammy Awards ou visto no YouTube ou em qualquer outra plataforma de mídia social, onde a música foi transmitida milhões de vezes. 

De acordo com a CBS, Perry tomou a posição no último dia 18 deste mês, em um tribunal da Califórnia e alegou que não estava familiarizada com a música "Joyful Noise" ou o artista envolvido. Emmanuel Lambert Jr., popularmente conhecido na cena cristã do hip-hop como Da Truth, também se posicionou. Como um dos escritores de "Joyful Noise", ele revelou que a música foi um grande sucesso no mundo cristão. 

Marcus Gray "Flame", um dos autores de "Joyful Noise" foi um dos que processaram Perry pelo plágio


Todd Decker, musicólogo, quebrou o ritmo das duas músicas. Enquanto os advogados de Perry argumentaram que o padrão musical é muito curto e comum para ser protegido por direitos autorais, Decker testemunhou que os ostinatos compartilham “cinco ou seis pontos de semelhança”, incluindo tom, ritmo, textura, padrão de repetição, forma melódica e timbre, ou “a qualidade e cor de um som”, como relatado pela Billboard. 

Depois de estudar as duas músicas, Decker concluiu que Perry "emprestou" a batida de "Joyful Noise" e o júri finalmente concordou. A cantora pop, cujos pais são pastores, inicialmente tentou fazer uma moção para um julgamento antecipado no último verão, mas o pedido foi negado. O novo veredicto significa que o caso agora avançará para uma fase de indenização. 

Os advogados de Perry emitiram uma moção na última quinta-feira (25) pedindo à juíza distrital americana Christina Snyder para decidir "que nenhum júri razoável poderia encontrar violação de direitos autorais com base nas provas apresentadas no julgamento", divulgou o Hollywood Reporter. 

Abaixo, ambas as músicas "sobrepostas": tire suas conclusões!





Fonte: The Christian Post

Nenhum comentário