Header Ads

ad

Pregador de rua preso sob acusação de islamofobia recebe indenização da polícia de Londres

Apesar da prisão injusta, Oluwole Ilesanmi se declara motivado a continuar anunciando o Evangelho

Em abril deste ano, um pregador de rua homem foi preso nas ruas de Londres por pregar o Evangelho e chegou a ser acusado de islamofobia. No entanto, nesta semana ele ganhou um pagamento em dinheiro da polícia londrina, que reconheceu ter errado em sua detenção 

O nativo da Nigéria, Oluwole Ilesanmi, estava transmitindo uma mensagem do evangelho fora da Estação de Metrô Southgate no norte de Londres, quando foi preso por "violar a paz". No entanto, pouco depois de ser encaminhado à viatura, os policiais perceberam que não podiam apresentar nenhuma acusação contra o pregador, porque ele não havia cometido nenhum crime. Assim, os oficiais transportaram Olu para um local remoto a mais de oito quilômetros de distância e detiveram temporariamente, sendo liberado logo em seguida. 

Depois de inicialmente se recusar a dizer que haviam feito algo errado, a Polícia Metropolitana de Londres finalmente admitiu que Olu havia sido preso injustamente, algumas semanas após o incidente. Agora, eles estão solidificando esse pedido de desculpas com um pagamento em dinheiro de £ 2.500 (pouco mais de R$11.500). Não é uma quantia enorme, mas para Olu é um gesto de boas-vindas encerrar esta situação perturbadora. 

"Fico feliz que a polícia tenha reconhecido que não era certo prender-me por pregar a Bíblia", disse Olu, depois que a compensação foi anunciada, de acordo com o grupo de defesa Christian Concern. “Foi traumático ser preso e deixado muitos quilômetros de minha casa. Mas Deus estava sempre comigo e, embora eu fosse deixado em um lugar que eu não conhecia, estava determinado a voltar para Southgate e começar a pregar o evangelho novamente”. 

Depois que os maus-tratos de Olu se tornaram notícia internacional, foi lançada uma petição para que o governo do Reino Unido revise as diretrizes e treinamentos dados aos policiais sobre como eles tratam os pregadores de rua que estão exercendo seu direito à liberdade de expressão. A petição, que recebeu mais de 38.000 assinaturas, será apresentada pessoalmente por Olu ao novo secretário do Interior, Priti Patel, em 30 de julho. 

A fundadora da Christian Concern, Andrea Williams, afirmou de sua satisfação porque a polícia concordou em pagar uma indenização pelo que aconteceu ao pastor, mas instou "o governo, a polícia e o prefeito de Londres" a fazer "garantias. que os pregadores de rua cristãos são livres para pregar o evangelho dentro da lei sem medo de processos judiciais”. 

Fonte: Christian Headlines

Nenhum comentário