Cristãos em Burkina Faso executados por extremistas islâmicos por usarem crucifixos

Os terroristas deixaram claro que todos que possuíssem crucifixos ou que não se convertessem ao Islã seriam mortos (foto: Ilustração)

Terroristas islâmicos continuam matando cristãos no nordeste de Burkina Faso. De acordo com a CBN News, a organização “Ajuda à Igreja que Sofre” reportou que quatro cristãos foram mortos em um ataque no último dia 27 de junho, na vila de Bani. O motivo: usavam crucifixos. 

O bispo Laurent Birfuoré Dabiré, da Diocese de Dori, no nordeste do Burkina Faso, disse que os terroristas forçaram todos na aldeia a se deitarem de bruços no chão. "Então eles os procuraram", disse ele. “Quatro pessoas estavam usando crucifixos. Então eles os mataram porque eram cristãos”. 

Ainda segundo o bispo, depois de assassiná-los, os terroristas alertaram todos os outros moradores de que, se não se convertessem ao islamismo, eles também seriam mortos. O assassinato dos quatro homens foi o quinto ataque contra os cristãos neste ano na região de Burkina Faso. Vinte cristãos já foram mortos neste ano. 

"Se o mundo continuar a não fazer nada, o resultado será a eliminação da presença cristã nesta área e, possivelmente, no futuro, de todo o país", disse Dabiré, que acrescentou ainda que os terroristas têm armas que não são fabricadas na África. 

"Eles têm fuzis, metralhadoras e tanta munição, mais do que o exército de Burkina Faso tem à sua disposição. É por isso que estou apelando às autoridades internacionais. Quem tem o poder para fazer isso, pode acabar com toda essa violência”. 

Cerca de 20% da população de Burkina Faso é cristã. Cerca de 60 por cento da população é muçulmana. 

Fonte: Christian Headlines

Postar um comentário

0 Comentários