Header Ads

ad

“Parem de aprender teologia com 'influenciadores cristãos'”, diz músico

John Cooper, do Skillet: "Estou surpreso que a coisa aparentemente mais importante para esses líderes que perderam a fé é fazer uma nova postura ousada" (Foto: Divulgação/Skillet)

John Cooper, vocalista da banda de rock cristã Skillet, expressou consternação por meio das redes sociais sobre os líderes cristãos populares que renunciaram publicamente a sua fé. As postagens soaram como indiretas a Marty Sampson, que recentemente deixou o Hillsong por esse motivo

" O que está acontecendo no Cristianismo? Mais e mais dos nossos líderes ou influenciadores sinceros que antes eram ‘rostos’ da fé estão se afastando. E, ao mesmo tempo, eles estão sendo muito vocais e ousados ​​sobre isso. De maneira chocante, eles ainda querem influenciar os outros (para que finalidade?) Ao anunciarem que estão deixando a fé”, escreveu Cooper em um post nesta semana. 

"Estou surpreso que a coisa aparentemente mais importante para esses líderes que perderam a fé é fazer uma nova postura ousada. Basicamente dizendo: 'Eu venho vivendo e pregando corajosamente há 20 anos e liderando gerações de pessoas com o meu ‘Eu’ e agora eu não acredito mais nisso. Portanto, eu vou dizer corajosamente e em voz alta que as pessoas estavam erradas enquanto eu corajosamente e em voz alta levo as pessoas para a próxima verdade’. Estou perplexo. Por que eles não estão envergonhados? Humilhados? Vergonha, medo, confusão? Por que estar tão ansioso para continuar liderando as pessoas quando você claramente não sabe para onde está indo?", questionou. 

Cooper deixou claro que não é o seu "lugar" para julgar os incrédulos, mas como um seguidor de Cristo, ele considerou necessário para abordar aqueles dentro de sua fé, dizendo que deve haver uma medida de "lealdade e amizade e responsabilidade uns aos outros e a Palavra de Deus ”como cristãos. 

Apesar de não citar nomes, Cooper alertou todos os cristãos. "Parem de fazer líderes de culto e líderes de pensamento, ou influenciadores. Estamos em um lugar perigoso quando a igreja está olhando para cantores de louvor de 20 anos como nossa fonte de verdade. Nós agora temos uma cultura da igreja que aprende sobre Deus só de cantar canções de louvor modernas ao invés dos ensinamentos da Palavra”. 

"Ousado" - O roqueiro cristão ainda aproveitou e ‘alfinetou’ compositores – e consumidores – de músicas antropocêntricas. Numa clara alusão à canção “Ousado Amor” (Reckless Love, em inglês), de Cory Asbury. 

"Muitos artistas cristãos estão lançando coisas que quando eu leio as letras, eu fico impressionado. Não quero ser excessivamente duro, mas tenho 100% de certeza de que o amor de Deus não é absolutamente ousado de qualquer maneira. Eu não posso acreditar que cantamos na igreja, mas nós fazemos". 

Ele explicou que a primeira vez que ele tomou conhecimento da música foi quando seu filho de 11 anos disse a ele que estava ouvindo a letra dela e depois de ler a Bíblia, não conseguiu encontrar em nenhum lugar da Palavra onde ela dizia o amor de Deus foi "ousado". Sua conversa com o filho mostrou a Cooper a importância da teologia correta na música. 

"Às vezes somos muito jovens, ignorantes demais nas Escrituras, ignorantes demais ou despreocupados demais com a pureza das Escrituras e a santidade do Deus com o qual estamos cantando. Você já considerou o desrespeito de cantar canções para Deus que são falsas?", questiona.

Confira a postagem original:


Fonte: The Christian Post

Nenhum comentário