Header Ads

ad

Tradutor da Bíblia no Camarões é morto por extremistas

Angus Abraham Fungerviu durante anos com a Wycliffe Bible Translators, trabalhando em uma tradução do Novo Testamento na língua Aghem (Foto: Alex Nicolls)


Um tradutor da Bíblia no Camarões foi massacrado até a morte na manhã de domingo (25) durante um ataque promovido por extremistas. A esposa dele teve o braço arrancado, de acordo com uma fonte do ministério Oasis Network

Angus Abraham Fung estava entre sete pessoas supostamente mortas durante um ataque promovido por pastores Fulani em algum momento durante as primeiras horas da manhã de domingo na cidade de Wum, segundo Efi Tembon, que lidera a Oasis Network

Localizado na região anglófona de Camarões, onde os separatistas lutam pela independência, Wum está entre as várias localidades onde jovens da comunidade nômade fulani estão sendo encorajados por atores do governo a realizar ataques contra as comunidades agrícolas locais que apoiam os rebeldes separatistas, disse Tembon. 

“Eles foram às casas e tiraram o povo”, explicou o líder cristão. “Eles atacaram durante a noite e ninguém estava esperando. Eles simplesmente foram para a casa, tiraram-nos e os mataram”. 

Tembon disse que não foi informado sobre quantas pessoas foram feridas no ataque, mas apenas que a esposa de Fung, Eveline Fung, teve seu braço cortado e está recebendo uma transfusão de sangue em um hospital local. 

Quanto ao tradutor da Bíblia, Tembon foi informado de que Fung foi espancado e esfaqueado com uso de um facão. “Eu não sei o que motivou o ataque. Eles acabaram de chegar e mataram pessoas em casa”, acrescentou Tembon, afirmando que a maioria das vítimas eram homens mais velhos. 

Fung tinha mais de 60 anos e serviu durante anos com a Wycliffe Bible Translators, trabalhando em uma tradução do Novo Testamento na língua Aghem, um projeto que foi concluído em 2016. Segundo Tembon, o tradutor chegou também a falar ao Congresso dos EUA sobre o conflito em junho de 2018, o que motivou sua perseguição em Wum. 

“Ele foi um dos principais líderes comunitários de toda a tribo e fez parte dos serviços de tradução e também coordenou os esforços de alfabetização”, explicou Tembon. “Então, ele foi uma grande parte do trabalho de alfabetização porque sua linguagem nunca havia sido escrita antes. Então, ele foi quem coordenou e ensinou a língua. Tantas pessoas agora podem ler e escrever o idioma como resultado do trabalho de Angus”. 

Embora a tradução do Novo Testamento para o idioma Aghem tenha sido completada e mais de 3.000 cópias tenham sido publicadas, Tembon disse que a distribuição não aconteceu por causa da guerra na região. 

Fonte: The Christian Post

Nenhum comentário