Por que comemorar a Reforma Protestante? - Cristianismo Inconformado

Publicidade

test banner

Post Top Ad

Por que comemorar a Reforma Protestante?

Share This

Chegamos a mais um 31 de outubro, data em que se comemora o Dia da Reforma Protestante encabeçada por Martinho Lutero, continuada por João Calvino e Ulrico Zuínglio, mas que bem antes já tinha sido pavimentada por homens como John Huss, John Wycliffe e Martin Bucer. Pois bem, é uma data deveras emblemática. Porém, infelizmente, ainda há resistência por parte de muitos cristãos quanto a esse evento. Alguns chegam a dizer que a mesma não tem nada a ser celebrado. 

Compreendo o ceticismo de alguns e a falta de interesse de outros quanto ao que fora conquistado através da Reforma. Há muita coisa que, de fato, precisam de uma explicação melhor e devem ser compreendidas de forma madura e responsável. Erros aconteceram, como acontecem até hoje. Afinal, fora gerida por homens imperfeitos. Mas é preciso levar em conta as contribuições que a Reforma Protestante deu nos campos sociológicos, políticos, econômicos e teológicos. 

Por isso, enumeramos cinco motivos pelos quais devemos celebrar essa data tão importante: 


01 A Reforma Protestante nos deu um vislumbre do quão importante é a centralidade das Sagradas Escrituras 


Levemos em consideração que até 1517, não havia qualquer liberdade quanto ao conhecimento de Deus por meio das Escrituras. Clérigos tinham acesso ao livro sagrado e aos escritos de outros pensadores e teólogos que, mais tarde, iriam contribuir bastante para a cosmovisão cristã e bíblica. Um mundo em que de uma hora para outra surgia uma ou outra doutrina, lei ou homilia questionável tida como sendo “divina”. A Reforma nos trouxe de volta a liberdade e o acesso à revelação maior e a garantia de que as verdades de Deus Poderoso foram registradas por pessoas inspiradas pelo Santo Espírito. As Sagradas Escritura são suficientes a nos conduzir pelo caminho da retidão e integridade. Toda e qualquer revelação deve estar sujeita ao que já foi revelado pelos santos profetas e apóstolos. 


02 A Reforma Protestante nos apontou para a salvação por meio da fé 


Um universo onde você precisaria comprar a própria “salvação” através de uma gama de penduricalhos e relicários “sagrados” era o reflexo de um mundo doente e carente de Deus. Uma carga difícil de ser suportada. E foi justamente esse peso que foi retirado a partir da Reforma, quando passou-se a apregoar que a salvação das amarras do pecado e do destino infernal só pode ser possível por meio da fé em Cristo. Assim, o mote da Reforma convenciona-se comumente com as simples palavras: “O justo viverá pela fé”, sob a base em Romanos 1.17. 


03 A Reforma Protestante nos trouxe a certeza de que a salvação é um ato soberano resultante da graça de Deus 


A salvação pela fé é o resultado do amor de Deus para com Seus filhos. A partir da obra salvífica de Cristo, compreendemos o quanto Ele foi misericordioso conosco em nos retirar do caminho que conduzia ao Abismo. Não porque somos bons ou por termos algum mérito. Mas porque Ele é gracioso e amoroso. Assim, a salvação não vem porque compramos uma rosa ungida ou um tapete sagrado. Mas porque Deus nos livrou de um merecido tormento eterno e nos conduziu à luz. 


04 A Reforma Protestante nos apontou para Cristo e Seu sacrifício na cruz 


A graça nos concedeu, a fé nos conduziu, mas foi a morte violenta de Cristo foi o que nos garantiu a vida eterno com Deus. Isso não foi obra de nenhum outro homem ou santo. Coube ao Filho ser moído pelas transgressões humanas e suportar o peso da cruz e da nossa maldade. Assim tivemos acesso ao poderoso dom da salvação. Essa dádiva não nos pertencia. A cruz sim. A morte, igualmente. Mas foi o sacrifício de nosso Senhor que alcançamos o favor (imerecido, ressalte-se) de nosso Deus. 


05 A Reforma Protestante nos apresentou a necessidade de nos humilharmos ante a poderosa e maravilhosa Glória de Deus 


Tudo conduz a Ele. Nossa vida pertence a Ele e somente a Ele. E sem Ele nada seria possível. Foi pela soberania de Deus que Cristo veio ao mundo para remir a humanidade caída. Foi por Sua sabedoria que a história seguiu até o ponto exato para que John Huss, John Wycliffe, Martinho Lutero, João Calvinho, Charles Spurgeon, John Wesley, William Carey, Daniel Berg e tantos outros iniciassem uma pregação mais forte e mais centralizada nEle, para que o homem voltasse à condição de varão perfeito através da salvação. Foi por Sua onipresença que ao dobrarmos nossos joelhos em humildade e devoção Ele atende a cada um de nós de forma distinta e especial. E tudo isso para Sua eterna Glória e Majestade. Ninguém nessa terra merece nossa devoção e adoração. Apenas Ele é digno de ser louvado e adorado! 

Deus abençoe a todos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Bottom Ad

Pages