Header Ads

ad

Radicais muçulmanos sequestram estudantes cristãs na Nigéria

Cinco homens armados invadiram a faculdade e levaram seis estudantes e dois funcionários, entre eles o vice-diretor da instituição |FOTO: Morning Star News

Muçulmanos Fulani sequestraram no início deste mês seis adolescentes e dois funcionários de uma escola administrada por cristãos no norte da Nigéria. As informações foram divulgadas nesta semana pela agência Morning Star News.

De acordo com a instituição, que é uma agência de vigilância de perseguições sem fins lucrativos, fontes informaram que os radicais estavam armados quando invadiram a Engravers’ College, na vila de Kakau Daji, na área do governo local do condado de Chikun, perto da cidade de Kaduna. 

Foram oito vítimas dos Fulani, sendo o vice-diretor cadêmico, Joel Adamu, uma dona da casa e seis alunas. Shunom Giwa, vice-diretor do Engravers 'College, disse que foram cinco homens responsáveis pelo sequestro. 

"Quando eu descobri que a atenção deles estava no meu colega, eu simplesmente corri para o mato e, ao perceberem que estava fugindo, eles atiraram em mim, mas felizmente não me pegaram", disse Giwa. "Eles me procuraram sem sucesso e, quando não conseguiram me pegar, começaram a procurar onde estavam os alunos".

Os sequestradores entraram em contato com os funcionários da escola com suas demandas por resgate, exigindo inicialmente 30 milhões de nairas (US $ 82.327) por aluno antes de negociar menos. Embora a escola tenha um currículo secular, ela inclui uma perspectiva cristã, e os alunos tomam o conhecimento religioso cristão como disciplina. 


A faculdade encontra-se na vila de Kakau Daji, condado de Chikun |FOTO: Divulgação

A escola tem uma população estudantil de 100 pessoas, com insegurança desenfreada no estado, obrigando alguns pais a retirar seus filhos da escola, disse Giwa. Julde Juli, cuja filha de 15 anos estava entre os sequestrados, disse ao Morning Star News que está confiando em Deus com o futuro de sua filha.

"Fiquei chocada ao receber a notícia do sequestro da minha filha e de outros alunos", disse ele. “Apenas rezo para que nada aconteça com eles e que eles saiam vivos. Eu confio que nosso Deus é soberano sobre todas as coisas. Estamos confiantes de que, através da intervenção divina, nossos filhos serão resgatados”.

O porta-voz do Comando da Polícia Estadual de Kaduna, Yakubu Sabo, disse que as autoridades estão fazendo esforços para resgatar os cativos. "O Comando imediatamente mobilizou equipes combinadas de anti-seqüestro, SARS e polícia convencional para a área para possível resgate das vítimas e prender os autores do infeliz incidente", disse ele.

O governador de Kaduna, Nasir el-Rufai, disse à mídia que, com a mais recente onda de sequestros, os “bandidos” de Fulani provavelmente estão trabalhando ao lado de elementos do grupo extremista islâmico Boko Haram.

"Há três meses, recebemos informações de que os bandidos se conectaram com alguns elementos do Boko Haram, e terão como alvo escolas para sequestrar crianças, porque sabem que é isso que faz a notícia", disse El-Rufai.

O Boko Haram ganhou as manchetes em 2014 depois de sequestrar 276 alunas da remota cidade de Chibok, no nordeste do país. Acredita-se que os fulani sejam responsáveis pelas mortes de dezenas de milhares de nigerianos desde que o presidente do país, Muhammadu Buhari, que é da tribo Fulani, assumiu o cargo em 2015.

Em setembro, pastores sequestraram e mataram a esposa de um pastor no estado de Kaduna, na Nigéria, depois de quebrar as pernas, para que ela não pudesse escapar. No início de setembro, suspeitos pastores muçulmanos Fulani mataram a tiros o pastor Batista Alhamdu Mangadus, da Igreja Batista Nasara, em Asso, enquanto trabalhava em sua fazenda.

A Nigéria é o 12º lugar mais perigoso do mundo para os cristãos, de acordo com a World Watch List anual da Missão Portas Abertas.

Fonte: The Christian Post

Nenhum comentário