Para britânicos, drogas ilícitas, eutanásia e pornografia não são mais "imorais", diz pesquisa

O número de pessoas que percebem que tomar drogas leves como a maconha é moralmente errado diminuiu de 60%, em 1989, para 29%, neste ano | FOTO: Unsplash

Aborto, pornografia, drogas, relações homossexuais - essas são algumas das questões que a maioria dos britânicos não considera mais "imorais". O Kings 'College, em Londres, comparou números de 1989 com pesquisas de opinião deste ano em uma série de questões morais. 

Nos últimos 30 anos depois, houve uma queda significativa no número de pessoas que vêem os relacionamentos gays como moralmente errados, passando de 40% para 13% hoje. 

A porcentagem de cidadãos que acreditam que ter filhos fora do casamento não é moral agora é de 13%, ante 24% em 1989. 

Na questão da pornografia, as revistas de sexo adulto eram consideradas imorais por 38% da população há 30 anos, um número que cai para 22% (a maior mudança ocorrida na população feminina). 

O número de pessoas que percebem que tomar drogas leves como a maconha é moralmente errado também diminuiu. Em 1989, era de 60%, agora é de 29%. Até o consumo de heroína é agora considerado aceitável por 33% da população. 

O aborto é visto apenas como imoral por 18% da população no Reino Unido hoje, em comparação com 35% em 1989. 

A opinião sobre a eutanásia também mudou: 22% a consideraram imoral há 30 anos, agora 17%. 

A única questão que permanece inalterada são as opiniões sobre a infidelidade. 55% a consideram imoral agora, em comparação com 49% há trinta anos.

A definição de "moralidade"

Bobby Duffy, diretor do Instituto de Políticas do King's College London, disse: "Essas descobertas mostram que a Grã-Bretanha se tornou decisivamente mais liberal em uma série de questões morais nos últimos 30 anos". 

“Em todos os tipos de questões, de nudez frontal masculina e violência na TV, ao uso de drogas e aborto, estamos muito mais relaxados como nação”, afirmou. 

Outro elemento que poderia explicar essa mudança de atitudes é a evolução na cultura britânica do termo “moralidade” e quais são as visões de mundo que definem o que é moral e o que não é.

Fonte: Evangelical Focus

Postar um comentário

0 Comentários