Para compensar demolição de igrejas, Governo chinês oferece terras a católicos

Católicos chineses oram em favor de mais liberdade religiosa no país | FOTO: Reprodução/ Youtube

O governo chinês está oferecendo compensação a uma congregação católica cujo edifício da igreja foi recentemente demolido pelas autoridades. Recentemente, uma igreja em Wu Gao Zhang, localizada no condado de Guantao, foi demolida cerca de um ano depois de aberta, apesar dos intensos protestos de paroquianos e padres locais.

No entanto, de acordo com um relatório da Catholic News Agency, o governo chinês apenas "concordou em fornecer terras e compensações para reconstruir a igreja em outro lugar" após horas de negociações.

"Em uma aparente concessão aos manifestantes, funcionários do governo concordaram em fornecer um pedaço de terra para a igreja ser reconstruída, bem como dinheiro para compensar a destruição do edifício original", relatou a CNA.

Consagrado e inaugurado em agosto de 2018, o prédio da igreja foi demolido pelas autoridades pelo motivo oficial de não ter uma permissão aprovada pelo Departamento de Assuntos Religiosos da China.

No mês passado, manifestantes, incluindo vários padres, ocuparam a igreja, orando e exigindo que o prédio não fosse destruído pelo governo comunista. De acordo com outro site católico, o AsiaNews, a demolição da igreja em Wu Gao Zhang fazia parte de uma repressão geral às congregações católicas.

“Nas últimas semanas, as igrejas de Jian e Fizhou foram fechadas na diocese de Yujiang (Jiangxi); na diocese de Fuzhou (Fujian), edifícios sagrados foram fechados em Fuqin e Changle ”, relatou a AsiaNews no mês passado.

Em 2018, o Vaticano e o governo chinês assinaram um "Acordo Provisório", no qual o Vaticano reconheceria como bispos legítimos nomeados pelo regime. Anteriormente, existia uma divisão entre a igreja aprovada pelo estado e uma igreja católica subterrânea que era oficialmente reconhecida pelo Vaticano.

Como resultado do acordo, cujos detalhes permanecem particulares, dois bispos católicos chineses foram ordenados em agosto com a bênção do papa Francisco e do governo comunista.

A China ocupa o 27º lugar no ranking de países que mais perseguem cristãos, de acordo com a Missão Portas Abertas. 

Fonte: The Christian Post

Postar um comentário

0 Comentários