Cristãos nigerianos são assassinados e corpos jogados na estrada

Nnadi Michael e Bola Ataga foram mortos por militantes fulani, um dos grupos mais radicais da Nigéria | FOTO: Arquivo Pessoal
Os corpos de dois cristãos sequestrados, o estudante do seminário Nnadi Michael e a dona de casa Bola Ataga, esposa de um médico local, foram encontrados à beira despejado em uma estrada perto da estrada Kaduna-Abuja, Nigéria, no último dia 31 de janeiro.

Nnadi Michael, 18 anos, foi seqüestrado em uma residência do seminário em Kakua em 8 de janeiro, junto com Piusm Kanwai (19), Stephen Amos (23) e Peter Umenukor (23). Militantes fulani também saquearam objetos de valor do edifício. O seminário confirmou, em comunicado divulgado em 31 de janeiro, que três dos alunos haviam sido libertados, mas Nnadi Michael foi um dos que não sobreviveram. 

Já Bola Ataga foi seqüestrada na casa da família, juntamente com seus dois filhos, no dia 24 de janeiro, segundo o Barnabas Fund. Os dois filhos de Bola foram libertados vivos em 6 de fevereiro. A rodovia Kaduna-Abuja é famosa por seqüestros, predominantemente por pastores Fulani armados, que também atacam frequentemente comunidades agrícolas cristãs nos estados de Kaduna e Plateau.

O líder da igreja local, Alfred Adewale Martin, condenou o assassinato de Nnadi, como "mais uma indicação do fracasso" do governo em enfrentar a grave crise de segurança na Nigéria. No ultimo dia 2 de fevereiro, cinco milhões de pessoas participaram de marchas pacíficas em toda a Nigéria, protestando contra o assassinato do pastor Lawan Andimi por Boko Haram, e o fracasso das autoridades em impedir a onda crescente de ataques violentos contra extremistas islâmicos contra cristãos por extremistas islâmicos.

Fonte: Barnabas Fund

Postar um comentário

0 Comentários