Header Ads

ad

Médico cristão chinês que descobriu o coronavírus deixa poema emocionante como marca de seu legado

Dr. Li Wen Liang morreu ao tratar de pacientes infectados, mesmo sabendo que isso lhe custaria a vida | FOTO: Reuters

O Dr. Li Wen Liang foi o médico que descobriu o mortal coronavírus. O médico chinês era cristão e na manhã de 7 de fevereiro morreu, sendo includindo entre as milhares de vítimas infectadas com o vírus. 

De acordo com o Breaking Christian News, o médico chegou a ser preso em dezembro, acusado de "espalhar boatos sobre uma misteriosa pneumonia como vírus". E quando o vírus mortal eclodiu, como ele avisou, o Dr. Li Wen cuidou dos pacientes, mesmo correndo o risco de ser infectado pelo próprio coronavírus.

O médico, no entanto, deixou um legado que sempre será uma marca no coração do povo chinês. Ele cuidava dos pacientes e tentou impedir a propagação do vírus, sabendo que ele poderia estar infectado. O doutor Li Wen escolheu dar a vida por outros.

Antes de morrer, o médico publicou um poema, onde ressalta sua jornada, já prevendo o fim, porém com boas expectativas de um futuro criado por Deus. 

Confira: 


"O herói que contou a verdade", de Dr. Li Wen Liang


Eu não quero ser um herói.
Ainda tenho meus pais,
meus filhos,
minha esposa grávida que está prestes a dar à luz
e muitos de meus pacientes na enfermaria.
Embora minha integridade não possa ser trocada pela bondade dos outros,
apesar da minha perda e confusão,
devo prosseguir de qualquer maneira.
Quem me deixou escolher este país e essa família?
Quantas queixas eu tenho?
Quando esta batalha terminar,
vou olhar para o céu,
Com lágrimas como a chuva.

Eu não quero ser um herói.
Mas, como médico,
não consigo ver esse vírus desconhecido
ferindo meus colegas
e tantas pessoas inocentes.
Embora estejam morrendo,
estão sempre me olhando nos olhos,
com a esperança de vida.

Quem teria percebido que eu ia morrer?
Minha alma está no céu,
olhando para a cama branca,
sobre a qual repousa meu próprio corpo,
com o mesmo rosto familiar.
Onde estão meus pais?
E minha querida esposa,
a senhora que uma vez tive dificuldade em perseguir?

Lutando até o último suspiro
Há uma luz no céu!
No final dessa luz está o céu sobre o qual as pessoas costumam falar.
Mas eu prefiro não ir lá.
Prefiro voltar para minha cidade natal em Wuhan.
Eu tenho minha nova casa lá,
pela qual ainda tenho que pagar o empréstimo todo mês.
Como posso desistir?
Como posso desistir?
Para meus pais sem o filho,
como deve ser triste?
Para minha namorada sem o marido,
como ela pode enfrentar as vicissitudes de seu futuro?

Eu já fui embora.
Eu os vejo pegando meu corpo,
colocando-o em uma sacola,
com a qual muitos compatriotas se
foram como eu,
sendo empurrados para o fogo na lareira
Ao amanhecer.

Adeus, meus queridos.
Adeus, Wuhan, minha cidade natal.
Espero que, após o desastre,
você se lembre de alguém que
tentou uma vez saber a verdade o mais rápido possível.
Felizmente, depois do desastre,
você aprenderá o que significa ser justo.
Não mais pessoas boas
devem sofrer de medo sem fim,
e tristeza desamparada.

"Eu lutei contra a boa luta.
E eu terminei a corrida.
Eu tenho mantido a fé.
Agora há para mim a coroa da justiça"
(2 Timóteo 4: 7)


Nenhum comentário