No Texas, igreja batista contrata "pastor" condenado por crime sexual e é expulsa de convenção

A igreja foi expulsa por força do Comitê de Credenciais (foto) criado pela Convenção Batista do Sul |FOTO: Holly Meyer / The Tennessean
Conhecida por ser implacável quanto a práticas nocivas ao Evangelho, a Convenção Batista do Sul expulsou na última terça-feira (18) a Igreja Batista de Ranchland Heights, em Midland, Texas, após a mesma ter contratado como pastor Phillip Rutledge, condenado em 2003 por acusações de agressão sexual praticada contra duas meninas. 

A igreja de Ranchland Heights é a primeira a ser recomendada para remoção pelo recém-formado Comitê de Credenciais , criado no ano passado em resposta à crise de abuso sexual na vida batista do sul. Os relatos da mídia em 2019 encontraram uma má conduta sexual generalizada entre os batistas do sul que desempenham papéis formais na igreja.

Como parte de seu acerto de contas, os representantes votantes das congregações ligadas à convenção mudaram o estatuto durante sua reunião anual de 2019, ocorrida em Birmingham, Alabama, para criar o comitê. Este conta com nove membros e agora desempenha um papel determinante sobre os rumos das igrejas associadas. 

A Convenção Batista do Sul não tem autoridade sobre as igrejas locais. Tudo o que pode fazer é remover uma igreja da convenção, se ela não estiver aderindo ao que significa ser uma igreja batista do sul. Antes da criação do Comitê de Credenciais, o Comitê Executivo podia expulsar igrejas. 

A última igreja a ser expulsa da Convenção Batista do Sul foi a Igreja Batista Raleigh White, na Geórgia, por acusações de discriminação racial em 2018. Outras igrejas associadas também foram removidas no passado por questões relacionadas a LGBTQ.

Fonte: Religion News 

Postar um comentário

0 Comentários