Header Ads

ad

O histórico discurso de Trump em cinco momentos marcantes

Donald Trump: "O melhor ainda está por vir" | FOTO: Leah Millis/AFP

O presidente norte-americano, Donald Trump, fez nesta terça-feira (4) o tradicional discurso de Estado da União, no Congresso. A noite foi marcada por uma série de momentos marcantes, inclusive o explícito “climão” entre ele a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, que liderou o esforço de impeachment contra Trump. Esta recusou-se a apresentar o presidente como "uma alta honra e privilégio distinto", como é o costume do Presidente da Câmara. Trump não se fez de rogado e nem a cumprimentou. 

Embora essa demonstração de animosidade certamente tenha sido impressionante de forma negativa (para alguns), houve mais de cinco momentos igualmente animadores, oferecidos pelo presidente. Confira:

Contra o socialismo

Desafiando diretamente o desastre socialista na Venezuela, Trump surpreendeu a maioria dos observadores ao apresentar "o verdadeiro e legítimo presidente da Venezuela, Juan Guaidó", que estava sentado na galeria da Câmara. Guaidó é o líder da oposição que foi escolhido pelos legisladores venezuelanos para se tornar presidente do país, mas o ditador Nicolás Maduro ainda se apega ao poder por força violenta.

"Sr. Presidente, por favor, leve esta mensagem de volta à sua terra natal. Todos os americanos estão unidos ao povo venezuelano em sua justa luta pela liberdade", disse Trump. "O socialismo destrói nações. Mas lembre-se sempre: a liberdade unifica a alma". 

Pró-vida

O presidente apresentou uma garotinha que sobreviveu, embora sua mãe tenha dado à luz apenas após 20 semanas de gravidez - um estágio em que alguns bebês ainda são abortados porque os defensores da escolha dizem que não são viáveis. Trump disse que a pequena Ellie Schneider, de 2 anos, é uma prova de que toda a vida deve ser valorizada e que o aborto tardio deve terminar. 

"Ellie nos lembra que toda criança é um milagre da vida", disse Trump. "Quer sejamos republicanos, democratas ou independentes, certamente todos devemos concordar que toda vida humana é um presente sagrado de Deus". 

Valorização das Forças Armadas

Trump homenageou famílias de militares de várias maneiras durante a noite. Aplaudiu o general de brigada Charles McGee, um dos últimos aviadores sobreviventes de Tuskegee - os primeiros pilotos de caças negros que lutaram contra a Alemanha nazista na Segunda Guerra Mundial.

Ele também honrou a coragem de uma esposa e de um filho de um militar que foi morto por uma bomba no Oriente Médio, explicando que foi para famílias como a deles que ele tomou medidas para eliminar o arquiteto de terror do Irã no Iraque, Qasem Soleimani. 

Mas o momento mais feliz veio quando ele apresentou outra esposa militar e seus dois filhos pequenos e, de forma repentina, anunciou que o chefe da família, o sargento de primeira classe Townsend Williams, acabara de voltar do front no Afeganistão, reunindo a família naquele momento.

Estado Islâmico 

O presidente também apresentou Carl e Marsha Mueller, cuja filha Kayla, 26, foi capturada, torturada e morta pelo próprio líder do Estado Islâmico (ISIS), Al-Baghdadi. Trump anunciou que a missão de acabar com a vida do  terrorista recebeu um nome de código - "Força-Tarefa 8-14". Era uma referência a um dia especial: 14 de agosto - aniversário de Kayla. Carl Mueller levantou uma foto grande de Kayla para que o mundo a lembrasse enquanto a sala inteira se aplaudia.

Medalha da Liberdade

Finalmente, em outro momento, Trump apresentou um convidado de última hora, o conservador Rush Limbaugh, que acabou de anunciar esta semana que está com câncer de pulmão em estágio 4. Não apenas Trump o honrou, convidando-o para o Estado da União, mas também concedeu uma Medalha Presidencial de Liberdade improvisada em Limbaugh, e a primeira dama, Melania Trump apresentou-a exatamente no local. Os democratas não aplaudiram, apesar do terrível diagnóstico de Limbaugh. 

***

Certamente houve outros momentos marcantes, como quando o presidente homenageou uma menininha que ele havia convidado, anunciando uma bolsa de estudos para ela frequentar qualquer escola que quisesse, para que não fosse presa em uma escola pública falida.

Trump manteve um tom de otimismo em grande parte de seu discurso, concluindo: "Nosso espírito ainda é jovem. O sol ainda está nascendo. A graça de Deus ainda está brilhando e meus colegas americanos, o melhor ainda está por vir". 

Fonte: Breaking Christian News

Nenhum comentário