Fiéis da Igreja Ortodoxa Russa mantêm tradição de beijar relíquias sagradas, apesar do risco de Covid-19

Apesar dos muitos alertas, prática não foi abandonada, principalmente pelos fiéis mais idosos |FOTO: Sonia Kopelev


Mesmo mais de 21 mil mortes por coronavírus em todo o mundo e os muitos alertas – em especial, de seu líder primaz –, a Igreja Ortodoxa Russa mantêm celebração de cultos em suas basílicas, com direito orações silenciosas e uma tradição milenar: beijar relíquias. E isso vem sendo praticado principalmente pelos fieis mais idosos - justamente, os que compõem os chamados grupos de risco. 

Apesar das advertências de especialistas de que o coronavírus pode ser transmitido pela saliva e sobreviver na superfície por dias, milhares de fiéis se alinharam nesta semana na Catedral de Kazan, em São Petersburgo, para beijar as relíquias sagradas do local, sem forma de saneamento, a não ser os ocasionais panos.

Segundo o portal The Moscow Times, um clérigo ortodoxo da cidade de Kazam foi visto usando uma única colher para servir vinho de comunhão aos membros de uma igreja. Essa e outras práticas são explicadas pelo fato de os cerca de 1645 milhões de fiéis da denominação religiosa se apegarem fortemente à fé em Cristo, crendo que estão protegidos de qualquer tipo de doença.

“As igrejas não devem ser fechadas. Deus vê tudo e protegerá os adoradores. Na Itália, o Vaticano fechou e você vê o que aconteceu lá”, disse Irina, aposentada de 59 anos, fazendo uma pausa durante uma caminhada no Parque Petrovsky de Moscou nesta semana, de acordo com o The Moscow Times.

O Patriarca Cirilo I de Moscou, chefe da Igreja Ortodoxa da Rússia, exortou os fiéis neste domingo (29) a orar de suas casas e seguirem todas as recomendações dos órgãos de saúde, evitando quaisquer reuniões que possam ajudar na disseminação do coronavírus. Desde a semana passada, a Igreja toma algumas medidas através da distribuição de regras sanitárias para garantir que as pessoas possam continuar a adorar, minimizando o risco de transmissão.

Na série de medidas, estão inclusas proibições como não beijar cruzes, o cálice da comunhão ou a mão do padre durante as liturgias. Também é exigida a desinfecção da colher da comunhão após cada uso e o uso de cotonetes para untar os paroquianos. Os adoradores ainda poderão beijar ícones, mas as igrejas são ordenadas a desinfetar os ícones entre cada uso.

Patriarca Cirilo I: a ordem é seguir com as recomendações sanitárias, inclusive, evitar reuniões |FOTO: Alexander Avilov  
A Rússia foi atingida de maneira relativamente leve, com nove mortes e 1.534 casos, porém registrou 270 novas infecções neste fim de semana e o Governo já está está intensificando as medidas de contenção. Cerca de 60% dos 144 milhões de russos se consideram cristãos ortodoxos, mas poucos estavam adorando nas igrejas neste domingo e alguns estavam usando máscaras, segundo relatos da mídia local.

No país, vôos internacionais já estão suspensos. O Governo também determinou o fechamento das fronteiras, anunciou uma semana de folga a partir deste fim de semana e fechou lojas e locais de entretenimento em Moscou e em algumas outras regiões.

Postar um comentário

0 Comentários