Organização Mundial de Saúde declara pandemia de coronavírus

Tedros Adhanom, diretor geral da OMS: Mudança de classificação obriga países a tomarem atitudes preventivas |FOTO: Denis Balibouse/Reuters

Tedros Adhanom, diretor geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), declarou nesta quarta-feira (11)  que a organização elevou o estado da contaminação pelo novo coronavírus como pandemia. A mudança de classificação não se deve à gravidade da doença, e sim à disseminação geográfica rápida que o Covid-19 tem apresentado. 

"A OMS tem tratado da disseminação [do Covid-19] em uma escala de tempo muito curta, e estamos muito preocupados com os níveis alarmantes de contaminação e, também, de falta de ação [dos governos]", afirmou Adhanom no painel que trata das atualizações diárias sobre a doença.

Na Câmara dos Deputados, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse que a declaração de pandemia não muda as medidas no Brasil. O país continua com o monitoramento das áreas atingidas e com as iniciativas e protocolos já anunciados. Hoje, o titular da pasta vai participar de comissão geral na casa, onde irá apresentar a deputados informações sobre as ações do governo acerca do problema.

Nos Estados Unidos, o número de casos já superou 1,000. O governo Trump anunciou que deve estender o prazo para apresentação do Imposto de Renda para grande parte das pessoas físicas e de pequenas empresas além de um pacote de estímulo econômico para a economia americana superar os impactos da doença. Chicago já cancelou seu popular desfile do Dia de Saint Patrick. Organizadores adiaram o Festival de Coachella, na Califórnia, por seis meses; Nova York está fechando escolas e limitando reuniões públicas em uma área de confinamento de cinco quilômetros quadrados no subúrbio de New Rochelle, em Nova York. Na Itália, o governo impôs quarentena em todo o país.

Na Alemanha, a chanceler Angela Merkel disse que até 70% da população pode se infectar com o novo coronavírus e que a estratégia de seu governo é o de desacelerar o contágio para evitar que os profissionais de saúde fiquem sobrecarregados, o que se mostra difícil, uma vez que a Europa está em um contexto de fronteiras abertas e grande circulação legal e ilegal de imigrantes de outras partes do mundo.

Fonte: Agência Brasil/ Conexão Política




Postar um comentário

0 Comentários