Em carta, cristão preso no Irã agradece pelo apoio da família da fé

Nasser Navard está preso no Irã por conta de sua fé. Ele foi um dos muitos presos que não conseguiram libertação como medida de prevenção ao Covid-19 |FOTO: Divulgação/Article 18

O COVID-19 chegou ao Irã e fez 4.585 mortos até o dia 13 de abril, segundo o Ministério da Saúde iraniano. Até agora, foram contabilizados 73 mil casos de coroanavírus no território. Uma das medidas do governo para interromper o rápido contágio foi a libertação de 83 mil presos, dentre eles estavam cristãos com penas mais brandas. Porém, ainda existem seguidores de Jesus que correm risco de serem contaminados pela pandemia, já que vivem em condições insalubres nas prisões do país.

Nasser Navard Gol-Tapeh é uma dessas pessoas que teve o pedido de liberdade negado pela justiça. Ele foi condenado a 10 anos de prisão por frequentar uma igreja em Teerã e agora cumpre a pena na prisão de Evin, que também fica na capital iraniana. Em fevereiro, o cristão de 58 anos teve a petição por um novo julgamento atendido, mas a licença temporária não. 

Em uma carta divulgada pelo site britânico Article 18, Nasser agradece as orações pela saúde dele e revela o desejo de estar novamente com os irmãos na fé. A Missão Portas Abertas promoveu uma campanha de cartões para encorajar o cristão e já divulgou uma carta anterior dele. O cristão relembrou os encontros que tinha com outros membros da igreja iraniana. 

“Recordo das reuniões piedosas, todos com uma mente e um coração. Por isso canto canções para glorificar o Senhor”, testemunha. Apesar de estar preso, Nasser ora pelos irmãos e irmãs e se sente unido com eles pelo amor de Cristo. “Eu agradeço a Deus pelo suporte que vocês têm me dado, por poder compartilhar meu fardo de problemas com vocês, assim eu recebo força e encorajamento continuamente. Como sou abençoado por ter vocês ao meu lado”, afirma.

Preso por amor a Jesus, ele reconhece que não conseguiria viver sem que o Senhor o estivesse carregando e sente que a mensagem mais importante que aprendeu é amar ao próximo, assim como foi amado por Deus. No fim do documento, o cristão relembra o que está escrito na carta de Paulo aos romanos, capítulo 8, versículo 35: “Quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada?”.

Fonte: Missão Portas Abertas

Postar um comentário

0 Comentários