Em mais um ataque, radicais Fulani matam jovem cristão e sequestram casal na Nigeria

Um grupo de radicais islâmicos que são pastores Fulani é responsável por promover o terror em diversas comunidades da Nigéria, principalmente de maioria cristã |FOTO: Secretariat of Nigeria 

Um estudante universitário cristão teria sido baleado e morto por pastores radicais Fulani durante uma invasão em uma vila no estado nigeriano de Kaduna, na última quinta-feira (16), cerca de uma semana depois que um pastor foi esfaqueado até a morte em sua igreja no sul da Nigéria. 

Moradores da vila Gbagyi, no estado norte-central de Kaduna, disseram ao Morning Star News, que apóia cristãos em perseguição, que o estudante federal de politécnica Sebastine Stephen foi baleado e morto por volta das 23h30. 

De acordo com os moradores, Stephen estava visitando sua aldeia natal na área do governo local de Chikun porque as aulas em sua faculdade no estado de Zamfara foram suspensas devido ao surto global de coronavírus. Stephen estaria lá fora quando suspeitos pastores Fulani invadiram a vila.

“Stephen despertou alarme, alertando os moradores sobre a invasão da nossa comunidade, pois ele ainda estava do lado de fora no momento em que os pastores vieram atacar a comunidade”, disse o morador Hosea Yusuf ao Morning Star News. “Os pastores atiraram nele instantaneamente e depois entraram em um das casas próximas a eles, onde sequestraram um casal".

Os tiros que mataram Stephen alertaram ainda outros moradores a fugir. "Eles estavam atirando aleatoriamente nos moradores enquanto se retiravam, porque o alarme disparado por Sebastine havia atraído a atenção dos outros moradores, que por sua vez alertaram as agências de segurança", disse o morador da área, Sunday Musa. 

Outro morador, Chris Obodumu, disse que os atacantes estavam armados com armas "sofisticadas". Depois de matar Stephen, os atacantes teriam invadido a casa de Jack Nweke. Ele e sua esposa, que têm três filhos, foram sequestrados. O líder comunitário Martins Emmanuel disse naquela noite que os militantes de Fulani também atacaram a área vizinha de Mararaban Rido. 

O assassinato de Stephen ocorre quando milhares de pessoas de vilas agrícolas predominantemente cristãs de toda a Nigéria foram mortas nos últimos anos por ataques promovidos por grupos de radicais islâmicos nômades Fulani.

Em 10 de abril, dois supostos radicais Fulani teriam matado o pastor Stephen Akpor, da Igreja Celestial de Cristo, na área do governo local de Aniocha North, no sul do estado do Delta. Segundo o jornal diário nigeriano Vanguard, o ataque ocorreu por volta das 20h30, enquanto o pastor aconselhava cinco membros de sua congregação.

A Nigéria é classificada como o 12º pior país do mundo no que diz respeito à perseguição cristã, de acordo com a World Watch List 2020 da Missão Portas Abertas

Fonte: The Christian Post


Postar um comentário

0 Comentários