Header Ads

ad

Militante socialista diz que pandemia é ótima oportunidade para "abolição da família"

Sophie Lewis diz, entre outras coisas, que a família nuclear representa a perpetuação do capitalismo |FOTO: Arquivo Pessoal/Twitter

O site de notícias openDemocracy, financiado pelo globalista George Soros, está usando a sensibilidade crescente das pessoas no Reino Unido durante a pandemia de coronavírus chinês para promover uma agenda antifamiliar e pedir que as famílias sejam abolidas. Em um artigo escrito para o site, a militante socialista Sophie Lewis, afirma que "é hora de abolir a família”. 

Lewis argumenta contra as deficiências percebidas na família nuclear que supostamente a crise teria exacerbado. Família nuclear é um termo usado para definir um casal de adultos, homem e mulher, e pode ter qualquer número de crianças. Historicamente, a família nuclear é a unidade familiar predominante e o fundamento de uma sociedade estável.

Sophia Lewis diz no artigo que a crise é o momento certo para as pessoas “se libertarem do lar da família nuclear”. O artigo afirma que os lares são ambientes inseguros e o coronavírus chinês levará a um aumento no abuso, fazendo fortes alegações de que os domicílios particulares apresentam “estupro de crianças” e “bullying da classe LGBT”.

A autora afirma que pessoas LGBTs não estão seguras dentro de casas. “O grupo LGBT e especialmente os muito idosos e muito jovens, não estão seguros lá: seu florescimento no lar capitalista é a exceção, não a regra”.

O artigo continua afirmando que as famílias estão repletas de pais patriarcais e os ambientes familiares são inseguros devido à “mistificação da forma de casal; a romantização do parentesco; e a higienização do espaço fundamentalmente inseguro que é propriedade privada”.

Lewis pede principalmente uma série de propostas socialistas, que devem ter precedência sobre a família. Ao mesmo tempo, o artigo também não oferece uma solução real para o que substituiria a unidade da família nuclear. 

“Liberte todos os prisioneiros e detidos agora, refaça as instalações de atendimento [para idosos] como espaçosas vilas autolideradas e demita todos os trabalhadores com salário integral, para que possam deixar suas camas para sempre, e vão morar com seus amigos e buscar preguiça por pelo menos na próxima década”.

De acordo com dados do próprio openDemocracy, a fundação globalista Open Society Foundation, de George Soros é um dos principais doadores do site de notícias, que publica uma variedade de material “progressivo”.

No site, é dito que Sophie Lewis é autora de Full Surrogacy Now: Feminism Against Family e escritora independente interessada no comunismo queer, com sede na Filadélfia. Devido ao coronavírus, ela perdeu três meses de renda com apresentações orais.

O artigo na íntegra pode ser lido aqui.

Fonte: Conexão Política/ openDemocracy


Nenhum comentário