Associação ateísta entra na justiça contra Bolsonaro por fazer "live" com religiosos

A transmissão via emissora pública, de acordo com a ATEA, viola o princípio de laicidade do Estado |FOTO: Reprodução/Facebook

A Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos (Atea) resolveu entrar na Justiça Federal contra o presidente da República, Jair Bolsonaro. O motivo: a “live” transmitida pela TV Brasil no último dia 12 de abril, domingo de páscoa, em que o chefe do Executivo conversou com alguns membros do Cristianismo e do Judaísmo.

A transmissão durou mais de duas horas e tinha como objetivo celebrar a data e passar mensagens de paz. Porém, para a Atea, a emissora pública violou o princípio do Estado laico, conforme previsto na Constituição. O pedido na Justiça é para que Bolsonaro fique proibido de repetir iniciativas semelhantes e seja condenado a pagar R$ 100 mil por danos morais coletivos.

“A utilização da emissora para atender a interesses privados do presidente e de segmentos religiosos fere, indiscutivelmente, o interesse público. Está na hora de o Poder Judiciário frear isso”, diz a nota divulgada pela associação.

O caso é analisado na Justiça do Distrito Federal 

Postar um comentário

0 Comentários