Homem que agrediu idosa em Manhattan tem mais de 100 passagens pela polícia

Rashid Brimmage tem uma lista de crimes desde 2005, inclusive por agressões sexuais |FOTO: Reprodução

Um vídeo que recentemente viralizou nas redes sociais mostra um rapaz caminhando na rua e, em seguida, derruba uma idosa em um hidrante. O incidente aconteceu na última sexta-feira (12) em Manhatan, Nova York. Felizmente, o agressor foi preso nesta terça-feira (16), ocasião em que foi descoberto que ele já teve mais de 100 passagens pela polícia, por ter praticado diversos crimes, inclusive por agressão sexual. 

Rashid Brimmage, 31, e sua lista de crimes é conhecida desde 2005. Ele chegou a ser condenado por má conduta sexual em 2012 e depois preso por dois crimes sexuais em 2014, segundo fontes policiais. Em maio daquele ano, foi preso por se expor e se acariciar em uma rua do East Harlem. Apenas alguns meses depois, em julho, foi preso por abusar de uma mulher atrás em uma lanchonete da Terceira Avenida.

Em 2017, Brimmage não notificou as autoridades de que havia mudado de endereço e tinha que se registrar como criminoso sexual. No ato de sua prisão nesta semana, já havia três inquéritos criminais abertos na cidade, de acordo com registros do tribunal local.

Ainda nesse ano, no dia 17 de fevereiro, ele foi preso por uma acusação de agressão e assédio por um incidente ocorrido no Bronx, uma semana antes, segundo registros. Brimmage foi libertado sem fiança no caso.

Novamente, foi preso em 5 de março e recebeu uma intimação violenta, segundo registros do tribunal. E, mais recentemente, foi preso em 9 de março em Manhattan e agredido com posse criminosa de substância controlada, agressão e tentativa de acusação de agressão.

"Medo de sair na rua"

A vítima de Brimmage em Manhatan se chama Geraldine, 92 anos, e está com medo de andar sozinha em seu próprio bairro. Natural do Bronx, vive na cidade há mais de 50 e na ocasião da agressão, estava a caminho de  Duane Reade, quando o agressora empurrou para o chão, perto da Terceira Avenida, em Gramercy Park, por volta das 15h30 da sexta-feira.

"Eu pensei que um tijolo me bateu ou algo me atingiu no lado esquerdo da minha cabeça. Caí e bati minha cabeça contra o hidrante", disse Geraldine, que pediu que seu sobrenome fosse omitido por razões de segurança. "Sangue estava saindo, não jorrando sangue, mas sangue estava pingando". 

Após a agressão, Geraldine se deitou no chão até que um transeunte ligasse para o 911. Os médicos a levaram rapidamente ao Hospital Beth Israel, nas proximidades. A ex-professora disse que seus ferimentos físicos foram relativamente pequenos e que curaram desde então. Porém, o dano mental tem sido muito mais grave.

“Estou abalada. Minha cabeça ainda dói onde estava sangrando, onde bati no hidrante - ou onde ele me bateu, não sei.  Minha ferida é psicológico. Esse maldito cara me colocou em um estado em que tenho medo de andar pelas ruas sozinha”, acrescentou.


Fonte: Fox News


Postar um comentário

0 Comentários