Líderes cristãos nos EUA se preparam para impedir derrubada de estátuas e depredação dos lugares de culto

Os pastores acionaram a Church Defensive Initiative, que visa defender a igreja dos vândalos "antifas" |FOTO: Divulgação/ Peaceably Gather

Um grupo de pastores evangélicos se reuniu em Seattle no início desta semana para orar e declarar que defenderá seus locais de culto e as estátuas de Jesus, depois que ativistas socialistas pediram que os destruíssem em meio a protestos da Black Lives Matter.

Brian Gibson, pastor fundador do movimento Peaceably Gather, denunciou o chamado de Shaun King para remover estátuas de "Jesus branco" e outros ativistas que tentam remover símbolos e monumentos cristãos em um movimento que começou com ódio e vandalismo em relação às estátuas confederadas.

"O apelo dos líderes do Black Lives Matters para destruir imagens de Cristo e desfigurar as casas de culto é nada menos que uma ameaça terrorista para as pessoas de fé", disse Gibson à Fox News.

"Os cristãos em toda a América devem se opor a essa violenta discriminação religiosa e proteger o solo sagrado", acrescentou o pastor. "Esta ameaça atinge particularmente a Igreja Católica, e todo cristão, apesar da denominação e toda pessoa do Bom Livro, deve permanecer unido contra esse mal".

O pastor lançou a Church Defensive Initiative, que afirma que as igrejas processarão todos os vândalos ou agitadores em toda a extensão da lei, incluindo a busca de designações de crimes de ódio por qualquer tentativa de profanar propriedades da igreja ou símbolos religiosos.

Gibson, que já havia chamado autoridades públicas para reabrir casas de culto em meio a restrições de coronavírus e pediu o fim dos distúrbios depois que os protestos se tornaram violentos após a morte da polícia de George Floyd em maio, agora está pedindo aos pastores que defendam as casas de culto e " não permitir que nossa herança cristã seja apagada na América".

Isso acontece quando a Igreja Episcopal de São João, em frente à Casa Branca em Washington, DC, foi vandalizada esta semana uma segunda vez depois que o presidente Donald Trump levantou uma Bíblia em frente à igreja depois que ela foi queimada por vândalos. Espera-se que Trump assine uma ordem executiva protegendo monumentos e estátuas que estão sendo demolidas.

A Iniciativa também responsabilizaria os líderes do governo que se recusassem a responder a ataques à igreja e à propriedade, além de afirmar os direitos das igrejas de usar força física para proteger sua propriedade e segurança, se absolutamente necessário.

"Em seguida, eles [os manifestantes] irão para a cruz", disse o pastor Kedrick Timbo, do Evangel World Prayer Center, em Louisville, Kentucky. "Eles alegam que a cruz é 'tanto faz' e então exigem que você e eu removamos as cruzes de nossas igrejas ou as de nossos lares".

O pastor LaShund Lambert, da Igreja da Ressurreição em Auburn, Washington, disse que é "desprezível" ver os ataques quando "deveríamos estar falando sobre reconciliação racial, igualdade, justiça e tratamento justo pela aplicação da lei e pela lei".

Fonte: Fox News


Postar um comentário

0 Comentários