Mais uma vez, ONU se alinha com árabes contra Israel

O secretário-geral António Guterres pediu à Israel que abandone o plano de anexação, pois do contrário, seria uma "violação do direito internacional" |FOTO: Zuma Press

Mais uma vez, a Organização das Nações Unidas (ONU) se posicionou a favor de seus financiadores árabes. Isso porque o secretário-geral António Guterres pediu a Israel que abandone o plano de anexação, durante uma discussão do Conselho de Segurança sobre a questão. 

“Se implementada, a anexação seria uma grave violação do direito internacional, causaria sérios danos ao futuro de ambos os países e minaria a possibilidade de renovação das negociações”, disse Guterres. 

O secretário-geral da Liga Árabe, Ahmad Abu Al-Wright, alertou no Conselho de Segurança que o plano de anexação impediria qualquer possibilidade de paz entre Israel e os palestinos. 

“A Liga Árabe acredita que a anexação ameaçará a paz. Desde 1993, os palestinos escolheram a paz – esperando que ela traga um estado palestino. Por três décadas isso não aconteceu. Apesar dos contratempos, a ideia de dois estados para duas nações permanece em vigor. Se a anexação acontecer, qualquer esperança de paz no futuro será destruída". 

O embaixador dos Estados Unidos, Kelly Kraft, defendeu o programa de paz do presidente Donald Trump, durante a discussão do Conselho de Segurança da anexação “Mas o plano atual nunca aconteceu. O plano atual é um plano preliminar que pode ser alterado. A necessidade de israelenses e palestinos trabalharem juntos é o que importa”.

Já o embaixador de Israel nas Nações Unidas, Danny Danon, abordou a questão da anexação rejeitando as acusações palestinas de violação do direito internacional.

Existe uma conexão forte e eterna entre o povo judeu e sua pátria histórica na Judeia e Samaria. Isso acontece há 3.000 anos e nenhuma propaganda palestina vai mudar isso. Israel continuará a promover seus interesses, incluindo uma paz realista e segura com seus vizinhos. Israel não permitirá que a comunidade internacional a ameace

Mas o fato é, que novamente, os árabes palestinos, se recusam a negociar, e ao longo de mais de 70 anos, a cada proposta, uma recusa, e a cada guerra, foram perdendo cada vez mais território e o Estado Judaico, recuperando a terra de seus antepassados. Se os árabes não agirem rapidamente em direção a PAZ, o Estado de Israel tomará conta de todos os territórios entre o Rio Jordão e o Mar Mediterrâneo.

Fonte: Cafetorah

Postar um comentário

0 Comentários