“Vamos pegar pesado com pedófilos”, diz ministra Damares

Ministra Damares Alves: Aumento da penalidade vale para líder religioso ou qualquer outra relação de confiança das vítimas |FOTO: Adriano Machado

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MDH), Damares Alves, quer endurecer as sanções a quem cometer crimes de ordem sexual praticado contra crianças. Nesta segunda-feira (13), ela encaminhou ao presidente da República, Jair Bolsonaro um projeto de lei que altera o Código Penal e o Código de Processo Penal, prevendo punição mais rigorosa para pedófilos. Inclusive religiosos. 

O projeto de lei ressalta que líderes religiosos, profissionais de saúde, professores e qualquer outra pessoa que se aproveite da confiança da vítima para praticar esse tipo de crime terão a pena aumentada. A ministra tomou como exemplo o caso do médium João de Deus, denunciado 14 vezes pelo Ministério Público, sendo doze por crimes sexuais. Além disso, a própria experiência traumática vivida pela ministra a motivou a implementar o projeto de lei. 

“Já enviamos nossa proposta ao presidente Jair Bolsonaro. Vale para líder religioso ou qualquer outra relação de confiança. Quem me conhece sabe que fui vítima justamente desse tipo de situação na infância. E que fiz de minha dor a minha luta. Vamos pegar pesado com pedófilos”, disse a ministra em suas redes sociais. 

Números da violência sexual contra crianças 

Dados do Disque 100 mostram que, somente no ano passado, foram registradas um total de 17.093 denúncias de violência sexual contra menores de idade. A maior parte delas é de abuso sexual (13.418 casos), mas há denúncias também de exploração sexual (3.675). Só nos primeiros meses deste ano, o Governo Federal registrou 4,7 mil novas denúncias. 

Os números mostram que mais de 70% dos casos de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes são praticados por pais, mães, padrastos ou outros parentes das vítimas. Em mais de 70% dos registros, a violência foi cometida na casa do abusador ou da vítima.


Postar um comentário

0 Comentários