Header Ads

ad

Protestos do “Black Lives Matter” contribuíram para aumento de quase 40% nos ataques à polícia de Londres

Entre maio e julho, houve 2.027 ataques a oficiais na capital britânica, o que representa um salto de 38% em relação ao mesmo período do ano passado |FOTO: Alex Pantling/Getty Images

Os ataques a policiais metropolitanos aumentaram em 38% durante lockdown do coronavírus em Londres, de acordo com a Scotland Yard, que aponta que protestos violentos e festas de rua que se transformaram em motins como o principal fator para o aumento dos ataques. 

Entre maio e julho, houve 2.027 ataques a oficiais na capital britânica, o que representa um salto de 38% em relação ao mesmo período do ano passado. A força policial disse à BBC que protestos em grande escala, incluindo aqueles promovidos por Black Lives Matter e grupos supostamente de extrema direita, “contribuíram” para o aumento maciço dos ataques à polícia britânica. 

Acredita-se que uma série de eventos musicais não licenciados que evoluíram para confrontos violentos também seja responsável por parte do aumento nos ataques a policiais. Os números também revelaram que no ano anterior a julho de 2020, 6.668 policiais foram agredidos, o que também representa um aumento de 16% em relação ao ano anterior. 

"É claro que as agressões a policiais e funcionários estão aumentando ano a ano e o impacto que isso tem em nossa profissão não pode e não deve ser subestimado. Assaltos nunca devem ser vistos como parte do trabalho, e os policiais devem poder continuar seu trabalho sem medo de abusos ou ataques. No entanto, sabemos que nem sempre é a realidade. O impacto pode ter efeitos de longo prazo no indivíduo que nem sempre são aparentes e nem sempre físicos”, afirmou o chefe da Operação Hampshire - que lida com agressões a policiais - inspetor-chefe Dave Brewster. 

Atualmente, os perpetradores de agressão comum ou agressão contra um policial britânico - ou outros trabalhadores da linha de frente, como bombeiros e paramédicos - enfrentarão apenas uma pena máxima de 12 meses atrás das grades. O governo está considerando dobrar a pena para dois anos na Inglaterra e no País de Gales. 

“Nossos policiais têm trabalhado incansavelmente sob crescentes pressões para manter nossas comunidades seguras durante estes tempos difíceis. A violência que vimos dirigida a eles é simplesmente inaceitável e não será tolerada. Os policiais merecem todo o nosso respeito e qualquer pessoa que ataque um policial deve sentir toda a força da lei ”, afirma Sophie Linden, vice-prefeita de Londres para policiamento e crime. 

Em junho, o líder do partido Brexit, Nigel Farage, disse acreditar que a lei e a ordem serão a questão definidora da década, como o Brexit definiu a última. Ele advertiu que há “uma divisão racial crescente porque as pessoas não aceitarão ser comandadas por uma organização marxista chamada 'Black Lives Matter’”. 

“Simplesmente não funciona. As pessoas são regularmente vítimas de crimes, mas agora elas chegaram ao ponto em que nem se dão ao trabalho de denunciá-los. Houve uma explosão massiva de crimes. Ele se manifesta de várias maneiras diferentes. Parte disso é um ataque físico violento. Parte disso é roubo. Parte disso é fraude ”, observou Farage.

FONTE: Breitbart

Nenhum comentário