Header Ads

ad

Argélia mantém treze igrejas protestantes fechadas por quase um ano

A Igreja Protestante do Evangelho Pleno de Tizi-Ouzou é uma das treze igrejas fechadas sem qualquer justificativa pelo governo |FOTO: Morning Star


A última quinta-feira (15) marcou um ano desde que a crise do fechamento arbitrário de igrejas na Argélia atingiu seu clímax com o fechamento das igrejas de Tizi-Ouzou (1.200 membros) e Makouda (800 membros) pelos polícia e gendarmerie, de acordo com comunicado da Igreja Protestante da Argélia (EPA).

A organização destaca que “o pedido de reabertura de locais de culto foi indeferido, sem motivo aparente", pelo tribunal administrativo de Tizi-Ouzou. “Hoje, 13 igrejas permanecem fechadas e lacradas; privando assim milhares de cristãos dos seus locais de culto ”, acrescentam.

No entanto, apesar das dificuldades e da Covid-19, a igreja ressalta que confia em Jesus Cristo e os membros se dedicam à oração para serem "pacificadores de nossa nação”. “Os cristãos na Argélia estão gratos e profundamente comovidos pelas expressões de afeto e pelas muitas mensagens de encorajamento e apoio enviadas desde o início desta crise”, sublinha o comunicado.

No domingo passado, igrejas em todo o mundo se uniram em oração ao chamado da igreja argelina. A EPA pediu para orar pela "reabertura de igrejas fechadas e pela proteção e sabedoria de pastores e líderes durante este tempo difícil".

Eles pedem para orar pela "revogação da portaria 06/03", que obriga os locais de culto das minorias a terem uma licença especial. Os cristãos denunciaram que as autoridades não emitem tais licenças, embora a maioria das igrejas tenha apresentado pedidos para regularizar seu status.

Os cristãos argelinos também “oram pelo fim da intimidação e humilhação dos líderes cristãos; as autoridades argelinas e os argelinos em geral”, e “agradecemos a Deus pela resistência dos cristãos argelinos”.

FONTE: Protestante Digital


Nenhum comentário