Header Ads

ad

Missionário americano na Nigeria é sequestrado por homens armados durante a madrugada

Acredita-se que os sequestradores sejam Fulani, grupo considerado perigoso na Nigéria |FOTO: Goran Tomasevic/ REUTERS

Um missionário americano foi sequestrado por seis homens armados com fuzis de assalto no sul do Níger, perto da fronteira com a Nigéria na madrugada desta terça-feira (27).

De acordo com o Daily Mail, os agressores entraram na casa de Philip Walton, de 27 anos, e exigiram dinheiro. Os homens armados levaram Walton e amarraram a esposa, a filha e a irmão. 

"Eles estavam procurando dinheiro na casa, mas não havia o suficiente. Havia apenas 20.000 francos CFA (US $ 35). Depois disso, eles foram embora com ele", disse o pai de Philip, Bruce Walton.

Philip Walton morava em Massalata com sua família há dois anos. Ele criou camelos, ovelhas e aves e cultivou mangueiras. O pai acrescentou que a família ficou tão exposta que ele foi sequestrado sem ninguém saber.

O Departamento de Estado dos EUA reconheceu que um cidadão americano foi sequestrado no Níger, mas não ofereceu mais detalhes. "Estamos cientes de um cidadão americano sequestrado no Níger. Estamos fornecendo a sua família toda a assistência consular possível", disse um porta-voz do Departamento de Estado, em um comentário à CNN .

Autoridades no Níger estão usando aviões para procurar os sequestradores que falam o dialeto hauçá e um pouco de inglês, e acredita-se que sejam do grupo étnico Fulani. O Daily Mail informa que os sequestradores teriam fugido para a vizinha Nigéria.

Vários outros estrangeiros foram feitos reféns nos últimos anos naquela região, incluindo um trabalhador humanitário americano chamado Jeffery Woodke. A notícia do sequestro de Walton segue-se a vários incidentes neste ano envolvendo militantes Fulani em todo o estado da Nigéria. Os Fulani são muçulmanos e costumam ter como alvo os cristãos.

Armados com facas e facões, os membros da tribo Fulani atacaram casas na vila cristã de Kizachi em julho, assassinando brutalmente uma criança de 9 anos, três adolescentes e um adulto. Pelo menos 33 pessoas foram mortas em agosto durante ataques de extremistas islâmicos a cinco comunidades cristãs no estado de Kaduna, no sul da Nigéria. 

Naquele mesmo mês, militantes muçulmanos Fulani no condado de Kachia mataram quatro cristãos e sequestraram seu motorista enquanto eles viajavam da aldeia de Katul. Os pastores fulani têm adotado cada vez mais ideologia e métodos semelhantes a grupos extremistas islâmicos como o Boko Haram, e alguns vêm de fora da Nigéria.

A Nigéria está classificada em 12º lugar na Lista Mundial da Perseguição 2020, da missão Portas Abertas, de países onde os cristãos sofrem mais perseguição.

FONTE: CBN News/Daily Mail

Nenhum comentário