Header Ads

ad

Por que os eleitores evangélicos e latinos apoiam fortemente Donald Trump?

A rejeição aos ideais socialistas - presente nos candidatos democratas - é um dos principais fatores para o apoio dos latinos e evangélicos a Trump |FOTO: Ross D. Franklin/AP


Os votos da eleição para a Presidência dos Estados Unidos ainda estão sendo contados no país. Porém, dois segmentos-chave da população votaram fortemente em Donald Trump e isso pode fazer toda a diferença no final. Cristãos evangélicos e latinos votaram fortemente no atual presidente, em estados decisivos como a Flórida.

No dia da eleição (3/10), o fundador e presidente da Faith and Freedom Coalition, Ralph Reed, declarou que o presidente Trump vencerá um segundo mandato depois que todos os votos forem contados, dizendo que os eleitores cristãos evangélicos compareceram esmagadoramente a ele.

“Acredito que veremos o maior comparecimento de eleitores conservadores cristãos e evangélicos na história americana e acho que eles darão a Donald Trump um nível mais alto de apoio do que há quatro anos”, disse ele.

Já o presidente da Conferência Nacional de Liderança Hispânica Cristã, Sam Rodriguez, disse à CBN News que os eleitores latinos pró-vida deram ao presidente a margem de vitória de que ele precisava na Flórida. 

Ele diz que está claro que muitos latinos que escaparam para a América de países socialistas como Cuba, Nicarágua e Venezuela viram sua influência destrutiva em primeira mão e não querem que isso aconteça na América também.

“Os latinos acabaram de emergir como o firewall da América contra o socialismo. Os latinos simplesmente disseram não ao socialismo. A comunidade hispânica acabou de emergir como o antídoto para o socialismo e o aborto”, disse ele, argumentando que os latinos votaram “não ao socialismo”, “não aos abortos tardios”, “não à anarquia” e “não aos bloqueios”.

O economista Steven Moore concorda. Ele diz que muitos eleitores rejeitaram nesta terça-feira as políticas econômicas de extrema esquerda dos democratas.

“Como você ganha na Pensilvânia e em Ohio com a promessa de destruir meio milhão de empregos relacionados à indústria de petróleo e gás lá? A mesma coisa no Texas e Oklahoma e assim por diante. Então, acho que Biden realmente, de forma tola, adotou a agenda muito esquerdista de Bernie Sanders”, disse ele.

Moore apontou que Kamala Harris está ainda mais à esquerda do que Biden, dizendo que na verdade ela foi classificada como ainda mais liberal do que o senador socialista Bernie Sanders.

FONTE: Faitwire


Nenhum comentário