Header Ads

ad

STF legitima o desrespeito religioso do Porta dos Fundos

 

Para os magistrados do STF, retratar Jesus como homossexual e alcoolatra, desrespeitando a fé alheia, é liberdade de expressão

Já era esperado, mas ainda restava um pouco de esperança por parte dos conservadores brasileiros. Porém, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta terça-feira (3) que a liminar que autorizou, no ano passado, a Netflix a exibir o programa de Natal do canal Porta dos Fundos é totalmente válida, pois o objeto em questão envolve liberdade de expressão.

Como todos sabem, no tal especial, os humoristas apresentaram Jesus como homossexual e alcoolatra. Por conta disso, em dezembro de 2019, a Justiça do Rio de Janeiro proibiu a exibição do programa, em atenção à Associação Centro Dom Bosco de Fé e Cultura, alegando que o serviço de streeming ofendeu a fé cristã e promoveu discurso de ódio contra a religião.

Porém, o vídeo foi liberado por uma liminar concedida pelo ministro Dias Toffoli, então presidente da Corte. E agora, por unanimidade, os ministros Gilmar Mendes, Edson Fachin, Cármen Lúcia e Ricardo Lewandowski entenderam que o caso se trata de liberdade de expressão e a veiculação não pode ser proibida.

A associação Dom Bosco ainda não se pronunciou sobre a decisão.

- Por Fábio Cavalcante (@fabiocbv) - Com informações de Gazeta do Povo/Agência Brasil

Nenhum comentário